terça-feira, 22 de junho de 2010

Se a laranja fosses tu, mãe

O que há por dentro de uma laranja, perguntou o menino. A mãe, de olhar inquietante, não sabia responder. Depois de pensar um pouco disse, há sumo. O menino perguntou, o que há por dentro do sumo. A mãe respondeu, outra laranja.
Ah, disse o menino, o mundo é feito de sumo e de laranjas. É estranho o mundo. Eu vejo tanta coisa e afinal tudo não passa de sumo e de laranjas.
Mãe, chama o menino, posso morrer dentro de uma laranja, pergunta. A mãe olha o menino de dentro de uma dor fechada e diz, não, não podes morrer dentro de uma laranja. Porquê, pergunta o menino. Porque as laranjas são pequeninas e tu não cabes lá dentro.
Ah, suspira o menino. Se eu morresse dentro de uma laranja tu podias beber o sumo e eu voltava para dentro de ti. E assim tu não choravas quando eu morresse.
A mãe olhou o dia lá fora que estava quase a morrer. Uma luz que cintiliva no horizonte mais não era senão as lágrimas que bailavam no seu olhar.

22 de Junho de 2010